Campanha salarial 2019

Fechada a Convenção Coletiva de Trabalho 2019/2020

Todos os empregados em estabelecimentos de serviços de saúde de Curitiba e Região, que são abrangidos pela CCT firmada entre SINDESC e SINDIPAR, válida de 01 de maio de 2019 a 30 de abril de 2020, terão reajustes de 5,07% aprovados em assembléia pela categoria que participou, sendo apenas dois votos contrários.

A Convenção foi renovada por mais um ano, garantindo aos trabalhadores além do índice de inflação nos pisos e salários, um aumento no adicional de insalubridade, bem como o auxílio alimentação que atingiu o valor mensal de R$480,00 para cada trabalhador.

As cláusulas estabelecidas na CCT continuam garantidas aos que são representados pelo SINDESC, tais como jornada de 36h semanais para profissionais da enfermagem, estabilidade pré-aposentadoria, anuênio, aviso prévio indenizado, multa em favor do empregado em caso de descumprimento de qualquer cláusula da convenção entre outras.

A Convenção Coletiva de Trabalho 2019/2020 – SINDESC/SINDIPAR está registrada no Ministério do Trabalho e Emprego sob o número MR026987/2019 ou pode ser consultada na íntegra diretamente no site do sindicato: www.sindescsaude.com.br.

Referente à contribuição assistencial:

Conforme estabelecido na CCT: “Tal contribuição foi aprovada pela categoria na Assembleia Geral realizada em 19 de fevereiro de 2019 e ratificada na Assembleia Geral de 23 de maio de 2019, e representa a vontade coletiva da categoria profissional, sendo a forma de sustentação financeira da entidade sindical ante a facultatividade da Contribuição Sindical Urbana.”

É garantido o direito de oposição à referida contribuição devendo seguir o modelo de carta anexo à CCT. Conforme CCT e Ofício 262/2019 encaminhado ao sindicato patronal, as cartas de oposição deverão ser entregues pessoalmente na Rua: Coronel Agostinho Macedo, 227, Centro Cívico, Curitiba – PR, de segunda à sexta-feira das 08h às 12h e das 13h ás 16h no período de 03 à 12 de junho de 2019, em duas vias  devidamente assinada e anexado cópia de documento oficial com foto, obedecendo o modelo de carta anexo, nos termos da CCT. O trabalhador poderá preencher (manual ou digitado) as informações solicitadas no modelo, ou, se assim preferir transcrever manualmente todo o conteúdo do modelo da carta de oposição.

Exclusivamente neste ano de 2019 será considerada válida a carta de oposição enviada via correspondência por AR ao endereço localizado na Rua: Cândido Lopes 289, conjunto 1521, 15ºandar, Edifício Tijucas, CEP: 80.020-060, Curitiba-PR, durante o período de 03 a 12 de junho de 2019, desde que a mesma seja individual, respeitando o modelo acima mencionado e que a assinatura do empregado seja com firma reconhecida em cartório.

Não serão aceitas oposições coletivas ao desconto em questão. Serão declarados nulos os pedidos em que ficar demonstrado que as empresas incentivaram, direta ou indiretamente, os trabalhadores a formular pedidos de oposição.

Conforme audiência realizada no dia 06 de junho de 2019, entre Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Curitiba e Região – SINDESC, e Ministério Público do Trabalho – MPT, pela Procuradoria Regional do Trabalho da 9ª Região de Curitiba, esta entidade sindical esclarece que:

O tópico 3º citado no modelo da carta de oposição e os direitos previstos na Convenção Coletiva de Trabalho 2019/2020 SINDESC / SINDIPAR são aplicados à todos os membros da categoria, independentemente de sua condição de associado ou pagamento de contribuição assistencial.

Ofício Circular 001/2019

Informativo SINDESC – Março 2019.

Aos hospitais, clínicas, consultórios, laboratórios, empresas de medicina de grupo e meais estabelecimentos de serviços de saúde de Curitiba e Região.

Bem como escritórios de contabilidade, recursos humanos e departamentos pessoais de estabelecimentos de saúde.

A Medida Provisória  873/2019 instituída pelo Governo e publicada na véspera do Carnaval,  fere o princípio da liberdade sindical prevista no artigo 8º da Constituição Federal, confronta a orientação da OIT (Organização Internacional do Trabalho) que garante a liberdade de atuação sindical e livre negociação. Atitude antissindical praticada pelo Estado.

Visto que a CCT 2018/2019 SINDESC/ SINDIPAR homologada perante a Superintendência Regional do Trabalho está vigente até 30 de abril de 2019, prorrogável até 30 de junho de 2019 e neste documento contém dentre outras cláusulas, a 77ª referente à contribuição assistencial dos empregados e a 76ª referente à mensalidade associativa e serem descontadas em folha de pagamento dos empregados.

Lembrando que o art. 8º da CF menciona expressamente a cobrança através de desconto em folha e ainda ser livre a associação profissional ou sindical não podendo a Lei exigir autorização do estado para a fundação.

De acordo com o Ofício Circular disposto na íntegra no link abaixo, a aplicação da MP 873/2019, percebe-se que a Convenção Coletiva de Trabalho vigente tem prevalência sobre a lei, conforme dispõe o art. 611-A da CLT, motivo pelo qual o instrumento coletivo de trabalho deverá ser cumprido integralmente pelos Hospitais, Clínicas, Consultórios e demais estabelecimentos de serviços de saúde de Curitiba e Região, sob pena de serem tomadas as medidas judiciais cabíveis.

Os impactos da reforma da previdência (2019) para o trabalhador de enfermagem.

Escrito por: 

Publicado em . Elaborado em .

Fonte: https://jus.com.br/artigos/72436/os-impactos-da-reforma-da-previdencia-2019-para-o-trabalhador-de-enfermagem?fbclid=IwAR031ferJ8rjWeP8yq0L4Owkxt0vJRZXpOs_2f3BRhXstmApZlh9LUaGBpA

Explicam-se, de forma prática, as mudanças nas regras da aposentadoria especial para o profissional de saúde, utilizando como exemplo explicativo os profissionais de enfermagem.

A aposentadoria especial (que possui o valor integral proporcional a média das 80% maiores salários de contribuição), na prática, deixará de existir, eis que será aplicada a regra de pontos.

Como é hoje: 25 anos em atividade especial + sem idade mínima = valor integral

Como ficará: 25 anos de contribuição em atividade especial + idade = 86 pontos = valor proporcional

O problema é que estes pontos irão aumentar, isto é, será acrescido 1 ponto para cada ano após a reforma, até chegar aos 99 pontos. A partir de 2033, a soma terá que atingir 99 pontos, se entrar em vigência em 2020. Enfim, acabou a aposentadoria especial para a maioria dos profissionais de saúde.

Além disso, o valor do benefício não será integral (proporcional a média das 80% maiores contribuições), passará a ser 60% da média salarial (proporcional a 100% de TODAS as contribuições) acrescido de 2% a cada ano que exceder 20 anos de contribuição, mesmo para o caso do profissional em condições especiais. Por exemplo: Atualmente, se uma mulher se formou no curso de Enfermagem em 2002, inciando a vida laboral, em condições especiais, com 24 anos, em 2003, teríamos que, com 49 anos, se nunca tivesse ficado desempregada, ela teria condições de se aposentar com valor integral.

Vamos pensar, o trabalho em atividade insalubre é desgastante, causa danos a saúde física. É justo que este profissional possa se aposentar mais cedo. Pela regra da Reforma: Se uma mulher se formou, no curso superior de Enfermagem, em 2002, inciando a vida laboral, em 2003, em condições especiais, com 24 anos, teríamos que, em 2041, com 61 e 6 meses anos, ela teria 37 anos e 6 meses de contribuição e 99 pontos. Poderia se aposentar com valor proporcional a 96% da média aritmética de todos os seus salários de contribuição, sendo o máximo o teto da previdência. Ou, ela poderia se aposentar com 40 anos de contribuição e 64 de idade para receber 100% da média aritmética de todos os seus salários de contribuição.

safe_image

Agora, por favor, imagine qual empregador manterá um profissional da enfermagem no seu quadro de funcionários após os 55 anos… Poucos, né? E após os 60? Já imaginou como estará a coluna vertebral de um técnico de enfermagem aos 60 anos trabalhando por mais 30 anos?

Além disto, hoje, temos a possibilidade de contar o prazo em condições especiais de forma diferenciada, caso a pessoa decida se aposentar na modalidade de tempo de contribuição, utilizando o tempo anterior ao trabalho em condições especiais. Explico: Caso você queira se aposentar agora, mesmo sem ter 25 anos de contribuição em condições especiais, o profissional de enfermagem recebe a vantagem de, cada ano trabalhado, na condição especial, ser multiplicado por 1,2, se você for mulher, e 1,5 se for homem… Por exemplo, se tinha 17 anos de contribuição em especial, ele passa a ser contabilizado como 20 anos e 4 meses e 24 dias, se mulher, e 25 anos e 6 meses, se homem. Esta diferença se dá porque, para os homens, o tempo de contribuição é maior para aposentadoria por tempo de contribuição (35 anos homem, 30 mulher).

Essa possibilidade não existirá mais, lesando principalmente quem começou a trabalhar mais cedo e fora das condições especiais. Via de regra, no caso da saúde, os mais prejudicados serão os profissionais de nível técnico.

Se você chegou até aqui e ainda não entendeu a situação:

1) A imensa maioria dos enfermeiros e técnicos serão demitidos, quando chegarem perto dos 55 anos. Por que? A profissão vende conhecimento técnico, força de trabalho, mas também, literalmente vende a saúde dos profissionais. Quanto mais velhos na ativa, provavelmente, terão mais problemas de saúde, provavelmente sairão por mais tempo de licenças saúde. Via de regra, poucos desejam empregados mais velhos em condições insalubres em funções com uso considerável de força física.

2) Em torno dos 55 anos estes profissionais não terão como se reinserir no mercado de trabalho em outras funções.

3) A aposentaria “normal” exigirá idade mínima de 62 anos para a mulher e 65 para o homem. Se a pessoa ficar, atualmente, mais de 3 anos desempregado, ou sem contribuir, perde a condição de segurado. Se perder a condição de segurado terá que voltar a contribuir, pagando todo período de carência novamente, para poder requerer aposentadoria. Se não conseguir, não poderá pedir aposentadoria nenhuma. Nada.

4) A imensa maioria vai ficar na absoluta miséria.

Sugestão: faça as contas e veja se você consegue se aposentar antes de entrar em vigência a Reforma. Se não puder, utilize a internet, converse com seus amigos e colegas, junte um grupo, fale com as pessoas, assista a palestras, vá ao sindicato, faça pressão parlamentar, cobre de seu deputado. Exerça pressão social. Incomode-se! Saia à luta!

CAMPANHA SALARIAL 2019

Começamos 2019 com desafios nunca antes previstos para a classe trabalhadora. Manter a união é o mais importante a cada passo que damos. Após golpe e truculência do Governo em cima dos trabalhadores, chegou a hora de arregaçar as mangas e avançarmos na luta em defesa dos direitos e melhoria nas condições de trabalho.

As assembleias de aprovação de pauta de reivindicações e estratégias de luta dão início à campanha Salarial. Após a reforma trabalhista, mudanças já começaram a ocorrer nos ambientes de trabalho, bem como a elevação o desemprego, ameaças de demissão sem garantias e possíveis perdas nos benefícios e jornadas. Para que o trabalhador não seja prejudicado, o mais importante é ter o apoio e representação do sindicato.

O fechamento de uma nova CCT com jornada de 36h, reajuste nos salários, auxílio alimentação, aviso prévio indenizado e demais benefícios exclusivos da categoria, só serão garantidos àqueles trabalhadores que estão em dia com as contribuições sindicais.

A pauta de reivindicações será encaminhada ao sindicato patronal, na qual será avaliada em assembléia realizada por eles e então inicia-se as rodadas de negociação.

A data base da categoria da saúde é maio, ainda terá muitas rodadas de negociações entre sindicato patronal e obreiro, na tentativa de chegarmos a um índice de reajuste satisfatório aos trabalhadores e consenso nas cláusulas sociais.

Após recebermos dos patrões uma contraproposta, a categoria será convocada novamente para avaliação e decisão dos próximos rumos da campanha. Acompanhe os informativos do seu sindicato e participe.

Não fique de fora desta luta. A data base da categoria da saúde de Curitiba é maio, mas muito há o que ser feito, discutido e planejado até lá.  Todas as etapas são importantes para conhecimento e fortalecimento da classe trabalhadora.

A direção do SINDESC aguarda você nesta campanha. Faça parte desta luta.

SINDESC-INF-FEV19-FOLDER.pmd

Pauta das assembléias:

  • Discussão e aprovação da pauta de reivindicação das Convenções Coletivas de Trabalho, CCT 2019/2020, cláusulas econômicas e sociais.
  • Autorização para a participação da campanha salarial da Federação com demais sindicatos do Estado do Paraná.
  • Autorização para requerimento de mediação junto ao Ministério do Trabalho e Emprego, MTE, autorizar a diretoria do sindicato a firmar judicialmente ou extra-judicialmente, acordo de dissídio coletivo de trabalho caso restem frustradas as negociações como sindicato patronal; autorizar a diretoria do sindicato a outorgar mandato para sua assessoria jurídica.
  • Autorização para deflagração de greve, caso restem frustradas todas as tentativas negociais.
  • Aprovação do percentual da contribuição assistencial.
  • Outros assuntos de interesse da categoria.

ESTABILIDADE PRÉ-APOSENTADORIA PARA OS TRABALHADORES DA SAÚDE

Apesar de existir a figura da Estabilidade Pré-Aposentadoria, ela não é amparada pela lei, tendo sido criada e concedida através de negociação coletiva, com a presença obrigatória do sindicato dos empregados (SINDESC) de um lado e o sindicato patronal de outro.

 

Tal benefício é firmado através das cláusulas de estabilidade, previstas nas convenções e acordos coletivos de trabalho firmados pelo SINDESC.

 

Importante salientar que a finalidade da norma é impedir que o trabalhador seja dispensado sem justa causa às vésperas de se aposentar, visando resguardar sua fonte de renda, posto que certamente encontrará dificuldades para reinserção no mercado de trabalho caso seja dispensado em razão da idade, com possibilidade, ainda, de perder a qualidade de segurado e, via de conseqüência, o direito ao benefício previdenciário.

 

A cláusula 45ª (quadragésima quinta) da Convenção Coletiva de Trabalho SINDESC/SINDIPAR de 2018/2019 estabelece que adquirirá estabilidade o empregado que: “estiver em um prazo máximo de 36 (trinta e seis) meses da aquisição do direito a aposentadoria integral”, conforme se vê:

 

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA – ESTABILIDADE AO PRÉ-APOSENTADO Aos empregados que comprovarem estar em um prazo máximo de 36 (trinta e seis) meses da aquisição do direito a aposentadoria integrale especial, excetuando-se a aposentadoria proporcional, e que estiverem trabalhando na mesma empresa por um período ininterrupto de 36 (trinta e seis) meses, ficarão assegurados o emprego e o salário, à exceção da ocorrência de justa causa, na forma da lei, devidamente comprovada.

 

Parágrafo Primeiro ­ – Aos empregados demitidos dentro do período de sessenta a trinta e sete meses que antecedem à aposentadoria garante-­se o pagamento de um abono correspondente a um salário seu.

 

Parágrafo Segundo – A condição de estabilidade deverá ser comprovada pelo empregado à empresa através de documento oficial fornecido pelo SINDESC. Em caso de dispensa do trabalhador sem que esteja comprovada a condição de estabilidade junto a empresa, deverá o empregado comparecer ao Sindicato antes do pagamento das verbas rescisórias para verificação de tal condição, sob pena de perder o beneficio. No documento de comunicação de dispensa fornecido pela empresa deverá constar um informativo aos empregados para que procurem a entidade sindical para emissão de possível declaração e verificação da sua estabilidade pré-aposentadoria.

 

images
download

 

 

Conforme se vê o SINDESC incluiu na Convenção Coletiva de Trabalho cláusula protetiva ao trabalhador, visando a continuidade da relação de emprego, garantindo seu prolongamento no tempo e o sustento do trabalhador e de sua família.

 

O direito foi pensado para garantir aos empregados, em vias de aposentadoria, a obtenção do benefício previdenciário quando cumprir os requisitos próprios da lei, seja por tempo de contribuição seja por idade, integral eespecial.

 

Cabe salientar ainda que o Tribunal Superior do Trabalho entende que deve ser aplicada integralmente a norma protetiva ao trabalhador conforme se vê:

 

(…) ESTABILIDADE PRÉ-APOSENTADORIA – NORMA COLETIVA – RESCISÃO ANTECIPADA DO CONTRATO DE TRABALHO – DISPENSA OBSTATIVA 1. No caso, o TRT deixa claro que existe norma coletiva instituindo a estabilidade provisória pré-aposentadoria, (Cláusula 24.ª da Convenção Coletiva), cujo teor foi reproduzido no acórdão recorrido, a qual estabelece que: “pré aposentadoria: Por 24 (vinte e quatro) meses imediatamente anteriores à complementação do tempo para aposentadoria proporcional ou integral pela previdência social, respeitados os critérios estabelecidos pela legislação vigente, os que tiverem o mínimo de 28 (vinte e oito) anos de vinculação empregatícia ininterrupta com o mesmo banco”. 2. Extrai-se desse ajuste coletivo que o empregado com mais de 28 (vinte e oito) anos de vínculo empregatício com a mesma instituição financeira não pode ser demitido sem justa causa nos 24 (vinte e quatro) meses anteriores à implementação do tempo de serviço exigido para a aposentadoria integral ou proporcional pela previdência social. 3. O TRT, também, atesta que o reclamante contava com 27 (vinte e sete) anos, 7 (sete) meses e 27 dias de trabalho para o reclamado quando foi dispensado sem justa causa, e que a regra da estabilidade acima transcrita exige 28 anos de vinculação, faltando ao reclamante 4 meses e 3 dias para completar o tempo estipulado na aludida norma. 4. Diante dessas premissas fáticas, a Corte de origem concluiu “que a dispensa perpetrada pelo Reclamado foi obstativa à aquisição do direito à estabilidade provisória assegurada na norma coletiva, levando-se em conta ter o Obreiro prestado serviços ao Banco Reclamado por mais de 27 anos, sendo que o tempo faltante (04 meses e três dias) representa uma exigüidade para implementação do período exigido na norma autônoma, pelo que há de se inferir por conduta do empregador que impede a aquisição do benefício convencional”. 5. O procedimento da empresa, além de demonstrar total descaso e acintoso desrespeito a quem lhe prestou serviços durante os anos mais produtivos de sua vida, configura flagrante má-fé, à qual o ordenamento jurídico vigente não dá guarida, sendo aplicável o art. 129 do Código Civil. Julgados. 6. Recurso de revista de que não se conhece. (…)(RR – 84-63.2012.5.03.0101 , Relatora Ministra: Kátia Magalhães Arruda, Data de Julgamento: 05/04/2017, 6ª Turma, Data de Publicação: DEJT 11/04/2017)

Dessa forma, o trabalhador que estiver trabalhando na mesma empresa por um período ininterrupto de 36 (trinta e seis) e que estiver em um prazo máximo de 36 (trinta e seis) meses da aquisição do direito a aposentadoria integral e especial deve ir à sua entidade sindical para emissão de declaração da sua estabilidade pré-aposentadoria.

 

Ismael Martinez Filho

Jurídico SINDESC

Importantes conquistas aos trabalhadores

Benefício que o sócio pode usufruir o ano inteiro

 

A Colônia de Férias, ao longo dos últimos anos, vem sendo reconstruída e ampliada com apartamentos confortáveis e mobiliados com toda a infra-estrutura necessária para receber você e sua família.

Os apartamentos dispõem de TV’s, ventiladores, geladeira, fogão, camas e utensílios de cozinha para até seis pessoas adultas. Na colônia tem disponível internet Wi-Fi, espaço de recreação, duas amplas churrasqueiras para confraternizações entre associados e familiares.

Para melhorar o atendimento ao sócio e utilização da Colônia de Férias, algumas alterações foram realizadas. Leia com atenção este informativo e atualize-se para não perder as oportunidades.

 

Novo procedimento para retirar a liberação a partir de novembro 2017.


LIBERAÇÕES:

  • A liberação só poderá ser feita pelo sócio titular, não será mais autorizado a entrega de liberação para representantes, dependentes ou terceiros.
  • A entrega será feita mediante apresentação do último holerite/contracheque que comprove o desconto mensal associativo e documento com foto. Não serão entregues as autorizações sem apresentação dos documentos solicitados.
  • No ato da entrega das chaves do apartamento, para a liberação de dependentes, deverão ser apresentados os documentos com foto de cada um. Sem a apresentação dos documentos, será cobrada multa no valor de diária como acompanhante e o associado será advertido.

 

SORTEIOS:

O sorteio da casa de Praia será mantido da mesma forma e as liberações conforme calendário previamente divulgado pelo sindicato.

 

DEPENDENTES:

Os dependentes deverão obrigatoriamente estar cadastrados na ficha sindical do associado, no ato de filiação ou atualização cadastral. Deverá ser incluso a relação de dependentes com a apresentação de documentos oficiais que comprovem o parentesco, a documentação dos dependentes será exigida na retirada da autorização a partir de novembro de 2017.

Serão considerados dependentes:

  • Cônjuges;
  • Filhos não emancipados solteiros até 21 anos;
  • Filhos inválidos de qualquer idade;
  • Pais;

 

OBSERVAÇÃO:

Para comprovação de dependentes, será obrigatória a apresentação de documentos tais como: certidão de nascimento ou RG, carteira profissional, certidão de casamento.

Para filhos casados ou acima de 21 anos, serão cobradas as diárias de acordo com a tabela de valores específica para cada temporada.

 

CALENDÁRIO PRA TAXA DE MANUTENÇÃO E DIÁRIAS

A partir de 15 de novembro de 2017 a taxa de manutenção e diária serão alteradas conforme a utilização.

Ficaram estabelecidas três temporadas, são elas:

Altíssima temporada – Do período de 23 de dezembro até o fim do carnaval.

Alta temporada – Feriados, de 01 de outubro à 22 de dezembro e após o carnaval até 31 de março.

Baixa temporada – os não citados, demais períodos do ano.

Os períodos que compreendem as temporadas foram definidos de acordo com a demanda para as casas e com isso estabelecer valores da taxa de manutenção e de diárias.

Para o sorteio o calendário permanece conforme previamente divulgado pelo sindicato.

 

VALORES:

tabela valores*Observação: Compreende-se como hóspedes: sócios, dependentes e acompanhantes.

 

 

DSC_0113

HORÁRIOS E DIÁRIAS:

  • Para a retirada das chaves com o caseiro, o horário é das 08h às 20h.
  • Para a devolução das chaves ao caseiro, o horário limite é até às 18h do último dia de estadia.
  • Importante respeitar a Lei do silêncio a partir das 22h.

 

Compreende-se como a semana liberada ao sócio, de quarta à terça-feira. Durante a altíssima temporada é vedada a permanência na colônia de férias por mais de duas semanas seguidas.

É terminantemente proibido levar animais.

Desrespeitar o regulamento para utilização da Colônia de Férias pode acarretar ao sócio: multa, suspensão ou até mesmo exclusão do quadro associativo do sindicato.

Importantes conquistas aos trabalhadores

 

Categoria da saúde está entre as poucas que obtiveram ganho real nas campanhas salariais dos últimos anos

 

O SINDESC encerrou as negociações de data base deste ano mais uma vez conquistando aumento real para os trabalhadores. Embora no ano de 2016 o reajuste tenha sido o índice inflacionário do período, o sindicato conseguiu passar pela maior recessão da história do nosso país, sem nenhuma perda salarial. De acordo com informações e pesquisa do Economista Cid Cordeiro, no período de recessão que foi entre maio de 2015 a maio de 2017, a categoria da saúde teve em média 0,47% de aumento real. Nos últimos anos, de 2011 à 2017, ficou registrado um reajuste acumulado de 74%, sendo a inflação, um somatório de 46%, ou seja, 28% representam aumento real conforme demonstra o gráfico.

Considerando as vantagens conquistadas, sendo o aumento real nos pisos e salários, auxílio alimentação, insalubridade e anuênio, de uma inflação que fechou em 3,99% para o período desta última campanha, o SINDESC conquistou 2,57% de aumento real, foi mais da metade do percentual da inflação em ganho real, enquanto outras categorias mal conseguiram fechar o índice inflacionário, tendo perdas salariais, o sindicato conquistou mais poder aquisitivo para o trabalhador da saúde.

 

 

Nos últimos anos, o trabalhador da saúde, representado pelo SINDESC, obteve ganho real em todas as campanhas salariais. O auxílio alimentação já se trata de um ganho real, pois é um benefício estabelecido em Convenção Coletiva de Trabalho e não um direito por Lei. Bem como o anuênio/ triênio, estabilidade pré-aposentadoria, aviso prévio indenizado e a jornada de 36h semanais para quem é da enfermagem, pois nos demais estados do País, ainda fazem jornada de 44h semanais enquanto aguardamos aprovação do Projeto de Lei das 30h há mais de 12 anos no Congresso.

Portanto, aos que dizem que o sindicato não faz nada, observe estas conquistas, leia a Convenção Coletiva de Trabalho e fique por dentro das informações de direitos que o trabalhador da saúde tem por ser representado pelo SINDESC.

Com a reforma trabalhista, os trabalhadores correm sérios riscos de perder vários direitos que a luta sindical proporcionou a todos. Este é mais uma vez um momento de unir forças para enfrentar este desafio e sair vitorioso, porém, sozinho ninguém vai a lugar algum; somente juntos é que somos fortes e conquistamos mais. Pense nisso e filie-se ao seu sindicato, este é o único instrumento que luta por você.

pg02 (2)

Trabalhadores da ENSEG tem valores de ação para receber.

SINDESC ganha ação contra ENSEG Serviços Pré-hospitalares.

Em 2015 o SINDESC ingressou com Ação Coletiva em face da ENSEG Serviços Pré-Hospitalares, pleiteando o pagamento do piso da categoria em favor dos trabalhadores.

O processo está tramitando na 19ª Vara do Trabalho de Curitiba sob a numeração Única: 26552-2015-028-09-00-9 e Númeração CNJ: 0001047-26.2015.09.0028.

Em 24/05/2016 foi realizado acordo, sendo que já foram realizados os pagamentos dos créditos a vários empregados.

O pagamento do crédito será feito somente pessoalmente.

São necessários, para conferência dos beneficiários, apresentação da Carteira de Trabalho (CTPS), documento de identidade (RG e Cadastro de Pessoa Física (CPF).

A lista de beneficiados com a ação está disponível abaixo, para mais informações, encaminhe e-mail para:
nielsadv@nielsadv.com.br ou ligue: (41) 3019-5191 ou whatsapp – (41) 98433-7604.

1 – Adriano Donizete Moreira Aloisio
2 – Cristiane Almeida dos Santos
3 – Danilo Novais
4 – Diego Rogerio Bandeira
5 – Eliane Cristina dos Santos Almas
6 – Helena Maria Kamaroski
7 – Lidiane Aparecida de Lima
8 – Leandro Vilhardo Martins
9 – Marcos Purcino
10 – Maria Auxiliadora da Silva Ribeiro
11 – Monycky Batista Monteiro
12 – Patrick da Silva Moreira
13 – Rodrigo Gonzaga Alvarenga
14 – Sidnei Camargo
15 – Tatiana Araldi França
16 – Viviane Costa Pereira
17 – Alessandro da Silva Coelho
18 – Carlos Alberto Baggio Machuca
19 – Clarisse de Jessus Arruda
20 – Felipe Florencio da Silva

Mapa Sindesc

Sindicalize-se. Juntos é que somos fortes.

Todo trabalhador tem direito a se juntar com outros trabalhadores, para unidos em sua categoria, ter a força para negociar com o patrão. Filiado você fortalece a categoria, aproveita os convênios que o sindicato faz, especialmente para melhorar sua vida.

Na hora de reivindicar seus direitos e de fazer a sua defesa, você pode contar com o peso da categoria, brigando por você, pois a união faz a força.

ico-confira-noticias-fique-atualizadoConfira as notícias e fique atualizado

Conheça nossa equipe

Estabilidade Pré-Aposentadoria para os trabalhadores da saúde representados pelo SINDESC