top of page
  • Foto do escritorAlex Teleginski

Como fica o reajuste dos trabalhadores da saúde?

Após meses de negociação com patronal e sem acordo, MPT oferece proposta e categoria aprova em assembleia.


Na última assembleia realizada com os trabalhadores da saúde em 27/09, foi apresentada a proposta encaminhada pelo Ministério Público do Trabalho para a celebração da Convenção Coletiva de Trabalho entre SINDESC e SINDIPAR, os trabalhadores reunidos aprovaram os reajustes sendo estes:


· Reajuste sobre os pisos e salários de 4% a partir de setembro de 2023; · Adicional de insalubridade: reajuste do valor base para o cálculo dos percentuais em R$ 1.418,00, aplicável em setembro de 2023;

· Vale Alimentação no valor de R$ 670,00 mensais a partir de setembro 2023;

· Abono de R$ 200,00 em uma única parcela, podendo este valor ser incluído no auxilio alimentação ou destacado no holerite; · Renovação das cláusulas sociais até 30/04/2024.



SOMENTE APÓS O REGISTRO DO ACORDO OFICIAL NO MPT SERÁ ABERTO O PRAZO E FORMAS DE PROTOCOLAR A ENTREGA DAS CARTAS DE OPOSIÇÃO. Não serão aceitas cartas fora do prazo. O documento será publicado na íntegra no site do sindicato.




⚠️ Trabalhadores da enfermagem não estão inclusos neste acordo. ⚠️

ENFERMAGEM

A aplicabilidade da Lei para o pagamento do piso da enfermagem segue em andamento, o SINDESC encaminhou denúncias na cobrança de esclarecimentos do repasse das verbas e ajuizou ações exigindo os pagamentos dos pisos na sua integralidade. Há anos o SINDESC segue na luta pelo piso nacional da enfermagem, neste ano de 2023 devido à campanha salarial da data base da categoria da saúde coincidir com as questões da Lei do piso, resultou na demora para a solução da celebração da CCT SINDESC/SINDIPAR. O sindicato patronal pretendia globalizar o auxilio alimentação, insalubridade e anuênio para compor o pagamento do piso nacional da enfermagem, porém o SINDESC foi contra, o que impediu o andamento das negociações e fechamento da Convenção Coletiva de Trabalho 2023/2024. O auxilio alimentação não é verba pecuniária não pode ser composição salarial do piso, este entendimento divergente do patronato manteve a discussão de salários, verbas econômicas da enfermagem fora da CCT geral e estão sendo tratadas em termo aditivo seguindo em discussão no MPT, tais questões pendentes poderão ser encaminhadas a dissídio (julgamento pelo Tribunal Regional do Trabalho 9ª Região – TRT9). O SINDESC não abre mão de nenhum direito dos trabalhadores da saúde e segue na luta. Qualquer decisão a ser tomada será discutida com os trabalhadores em assembleia. Acompanhe os informativos no site do sindicato.






20.995 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

コメント


コメント機能がオフになっています。
bottom of page