Fiocruz avalia os efeitos da pandemia na saúde mental de mães e crianças. Participe da pesquisa:

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) lançou recentemente uma pesquisa que avalia os impactos da pandemia de Covid-19 na saúde mental de mães brasileiras e em seus filhos.

Estudos internacionais demonstram a crescente sobrecarga que as mulheres têm enfrentado com as medidas de isolamento impostas pelo avanço do vírus.

A silenciosa “carga mental” – o trabalho invisível de mulheres com atividades de planejamento, cuidado e gerenciamento familiar – têm sido cada vez mais alta neste período, demonstrando a falta de equidade na divisão de tarefas do lar. Além disso, o maior tempo dentro de casa têm potencializado casos de violência de gênero e, em casos mais graves, feminicídio.

Além de emocional, os efeitos também são econômicos. No Brasil, são mulheres as que mais sofrem com demissões. Além disso, com a falta de rede de apoio – em razão do fechamento de escolas e creches – muitas também estão tendo que abdicar seus empregos para ficar com os filhos em casa, auxiliando-os, inclusive, com as aulas remotas.

Com a pesquisa nacional o objetivo da Fiocruz é avaliar a problemática no contexto brasileiro, compreendendo as dificuldades, demandas e reinvindicações de quem mora no país a partir de uma perspectiva que leva em consideração questões como raça, classe e região.

Qualquer mulher que seja mãe e tenha mais de 18 anos pode participar do estudo. Para o Sindesc a contribuição de todas é fundamental. Acesse aqui: https://forms.gle/jNPnetkT5X41isXV8

Fonte: Sindesc

Posts recentes