Casos de assédio moral nos hospitais aumentam durante à pandemia – denuncie ao SINDESC!

Os casos de assédio moral em hospitais estão cada vez mais frequentes. Muitas chefias têm explorado o medo da pandemia de Covid-19 e a alta taxa de desemprego no Brasil para promover situações degradantes, como humilhações, abusos e constrangimentos contra os trabalhadores.

 

Algumas das principais características do assédio moral são:

  • Condutas, palavras (faladas ou escritas) e gestos que geram prejuízos à dignidade do trabalhador;
  • Ameaças;
  • Ironias;
  • Brincadeiras de mau gosto;
  • Demandas que são impossíveis de serem cumpridas ou que não servirão para nada;
  • Controle de idas ao banheiro;
  • Ofensas com relação ao trabalho desempenhado pelo profissional.

 

Se ocorrerem com frequência e regularidade, essas práticas podem ser enquadradas como assédio moral.

São atitudes e abalam psicologicamente o trabalhador e colocam em risco a sua saúde mental. Por isso, o SINDESC combate essas práticas abusivas nas unidades hospitalares.

 

Dicas para combater o assédio moral

  • Evite assumir postura ou conduta típica de vítima para que o conflito não seja alimentado;
  • Anote todos os casos de assédio moral, registrando locais, horários, o nome do assediador e o que ocorreu;
  • Evite contato com o agressor;
  • Se houve agressão física, vá à delegacia e faça um boletim de ocorrência;
  • Fundamental: denuncie ao sindicato. O SINDESC tem feito uma forte fiscalização nas unidades, inclusive por meio de procedimentos abertos junto ao Ministério Público.

 

Se você é vítima de assédio moral em seu ambiente de trabalho, denuncie ao sindicato. Entre em contato pelo e-mail sindesc@sindescsaude.com.br ou pelo telefone (41) 3222 8512 e relate o que está acontecendo. Garantimos o seu anonimato, para que a sua segurança seja preservada.

 

Fonte: Sindesc

Posts recentes